Relações e atividades sexuais

O QUE AS MULHERES E OS HOMENS MAIS VELHOS DIZEM SOBRE SUAS RELAÇÕES E ATIVIDADES SEXUAIS?

on Sexta, 25 Agosto 2017. Posted in Relações e atividades sexuais

O assunto em questão foi tema de um estudo realizado na Inglaterra com homens e mulheres na faixa de 50 anos mais ( ELSA 2012/2013 ) e nos trouxe informações interessantes sobre relações sexuais e terceira idade.

Em relação ao tema Satisfação Sexual, os Homens mencionaram as dificuldades no orgasmo relacionadas com as ereções não tão vigorosas como quando jovens, e que suas parceiras pareciam ter perdido o interesse em sexo. Já as mulheres mencionaram problemas como secura vaginal e as dificuldades de ereção de seu parceiro. Com isso, podemos dizer que os problemas sexuais relacionados às ereções e a menopausa (desejo e secura vaginal) afetam de forma importante a satisfação sexual tanto de homens quanto de mulheres individualmente e também dentro no contexto da relação.

O estudo conclui que os fatos relacionados com as dificuldades decorrentes da menopausa e eréteis não podem ser entendidas como puramente fisiológicas. Fica entendido que essas dificuldades são de fato muito importante, pois têm impacto sobre a satisfação sexual individual e compartilhada.

A falta de informação sobre o corpo e o que acontece com ele ao envelhecermos é um problema que afeta a vida de muitas pessoas na terceira idade. É importante ressaltar que estimular discussões mais pró-ativas sobre a função sexual e especialmente no contexto de problemas de saúde a longo prazo, pode influenciar na saúde e bem-estar dessas pessoas e trazer benefícios para um envelhecimento mais ativo e satisfatório no que diz respeito a suas atividades sexuais.

O ELSA é um Estudo que foi realizado na Inglaterra com um painel representativo de homens e mulheres de 50 anos ou mais. Em sua etapa número 6 (2012 / 2013), teve como objetivo capturar dados sobre relações e atividades sexuais dessa população, sendo que 67% dos 10.601 indivíduos recrutados completaram e retornaram o questionário (SRA-Q)* *ELSA website (http://www.elsa-project.ac.uk)

Fonte: Josie Tetley et al. Let’s talk about sex: Downloaded from https:/www.cambridge.org/core. IP address: 179.176.143.176, on 18 Jan 2017 at 18:30:47, subject to the Cambridge Core terms of use, available at https:/www.cambridge.org/core/terms. https://doi.org/10.1017/S0144686X16001203

Dr Marcus V. Chio Ming Coelho de Sá
Clinica Médica
CREMERJ 38.658-1

Os conceitos e informações presentes no material são de responsabilidade única e exclusiva do autor, não refletindo obrigatoriamente a opinião da da Merck - BR/LUBR/0717/0037 AGO/2017

Vamos Falar de Sexo na Maturidade?

on Sábado, 16 Setembro 2017. Posted in Dicas, Relações e atividades sexuais

imageA convite da Merck, líder mundial em ciência e tecnologia,a Dra. Carmita Abdo, psiquiatra e Coordenadora em Estudos da Sexualiade da USP, apresentou hoje, no Restaurante Tavares, em São Paulo, para um grupo de convidados e jornalistas, uma palestra bastante esclarecedora sobre os problemas relacionados ao sexo no período do climatério e da menopausa. Segundo ela, muitos são os fatores que levam à perda da libido e podem afetar o desempenho sexual, englobando problemas físicos, como algumas doenças, tais como a depressão, ansiedade, psicoses, demência; doenças cardiovasculares, hipertensão, dislipidemia, diabetes mellitus, hipo/hipertireoidismo, câncer e muitas outras. A diminuição dos hormônios sexuais na menopausa, podem também causar: ondas de calor, os famosos “fogachos” atrofia da mucosa da vagina incontinência urinária musculatura do assoalho pélvico mais frágeis menor resposta clitoriana aos estímulos secura vaginal, pele mais fina, menos elástica e menos sensível glândulas mamárias se hipotrofiam (mamas flácidas) mamilos perdem parcialmente a capacidade de ereção.

Assim, é necessário sempre consultar um especialista médico para se achar uma solução mais favorável ao paciente nessa fase de sua vida. Segundo a Dra. Carmita, o tema menopausa é muito recente nos estudos médicos, porque, antigamente a expectativa de vida não alcançava as mulheres dessa faixa etária. Os problemas de falta de lubrificação vaginal e ressecamento acomete muitas mulheres com idades variadas e podem ser combatidos com o uso de certos medicamentos e, agora, com o Lubrinat, produzido pela Master e comercializado pela Merck, empresa alemã líder em ciência e tecnologia, é um gel hidratante intravaginal cuja fórmula auxilia na manutenção da hidratação vaginal. Seu maior diferencial é ser à base de ácido hialurônico, uma molécula natural presente em muitos tecidos humanos é responsável por manter os níveis corretos de umidade e hidratação em ambientes sensíveis.